Relações tóxicas Vs. Relações saudáveis

Identificar os sinais prejudiciais numa relação

Estamos no mês de fevereiro e por esta altura do ano fala-se muito em amor e sobre como, o podemos celebrar e valorizar nesta data, mas e no resto do ano como podemos fazê-lo? Se para algumas pessoas um relacionamento pode ser sinónimo de partilha, negociação, segurança, confiança, honestidade, comunicação, igualdade e respeito para outras pessoas as coisas não são bem assim. Como podemos lidar com os desafios do dia-a-dia, de uma forma mais positiva, se muitas vezes não os conseguimos identificar e/ou até os ignoramos?

Quando é que foi a última vez que pensou sobre:

– a sua forma de comunicar com o outro?  A falta de diálogo ou uma comunicação pouco eficaz pode criar um ambiente de tensão e frustração que pode levar ao conflito e a desentendimentos entre o casal. Falar abertamente sobre aquilo que sente, escutar o que o seu parceiro/parceira tem para dizer e a sua opinião ainda que contrária à sua pode levar a um aumento da confiança e proximidade entre o casal.

–  a forma como toma decisões na sua relação? A tomada de decisão conjunta, a disposição para negociar e ceder podem levar ao aumento do sentimento de conexão e igualdade entre os membros do casal.

– a forma como se estimam e respeitam? Se um dos membros do casal não respeita a opinião, os sentimentos e o espaço do outro, isso pode levar a uma sensação de desvalorização e insatisfação com a relação. Uma relação pautada por respeito, partilha e afeto ajuda a reforçar os laços emocionais do casal.

– a forma como foi estabelecido o compromisso? A dificuldade em cumprir com o compromisso estabelecido pode indicar problemas graves num relacionamento.

As relações que estabelecemos com os outros não são estáticas nem são perfeitas. Podem ter “altos e baixos”, com momentos bons e momentos mais complicados ou de crise, chegando, por vezes, a tornarem-se “tóxicas”, prejudicando consequentemente o nosso bem-estar. Numa relação, cada indivíduo traz consigo as suas próprias características, emoções, pensamentos, comportamentos e interpretações dos eventos. Neste sentido, o padrão de interação entre o casal é moldado por essas mesmas características individuais, e o comportamento de um influencia, inevitavelmente, o comportamento do outro. Lembre-se que, as relações não têm de ser difíceis, mas, por vezes são desafiantes. Se identificou alguma destas questões como problemáticas na sua relação e/ou outras que queira trabalhar, lembre-se um psicólogo pode ajudá-lo a ultrapassar as barreiras da sua relação, a trabalhar a sua forma de comunicar, a tomar decisões mais conscientes e saudáveis para si e para as suas relações.

Lembre-se que é importante procurarmos manter relações saudáveis ao longo da nossa vida pois ajudam-nos a melhorar a nossa capacidade de amarmos e de sermos amados, contribuem para o nosso bem-estar físico e mental e podem mesmo contribuir para uma vida mais longa. Ter relações de suporte positivas com o nosso companheiro/a também faz aumentar os níveis de ocitocina (uma hormona que se encontra relacionada com o bem-estar) e diminuir o cortisol (um indutor de stresse).

Lembre-se que merece um relacionamento saudável e feliz, ignorar as questões problemáticas na sua relação pode ser prejudicial para si e também para a sua própria relação, mas estar ciente delas pode ajudá-lo/a. Lembre-se um psicólogo pode ajudar. Procure apoio especializado.

blog sara cruz clínica

Sara Cruz

No nosso blog vai poder ler artigos escritos pelas nossas psicólogas sobre temas da atualidade e saúde mental.

Você também pode gostar